Teço 18H30

1º Mistério – Jesus no Horto

Noite de vigília, de expectativa , e já de certeza. Oração constante e intensa. Esta noite no Jardim das Oliveira repete-se hoje por tantas terras e pessoas: esperamos e rezamos para que a salvação chegue. Mas ela já chegou, e a sua realização está nas nossas mãos. Deus já cumpriu a sua parte, somos nós agora os responsáveis por terminar a Missão. Vigiamos e oramos para que em nós se faça luz.

2º Mistério – Jesus Flagelado

Como Jesus há inocentes que, por todo o mundo, são flagelados, no corpo e no espírito. O mundo cego e egoísta varre tudo à sua volta, consome a vida, ergue-se sobre as costas dos outros. Ontem como hoje há gente despida e violentada, oprimida e torturada. A luz de Cristo revela os irmãos, outros iguais a nós, membros da mesma família. Ó Jesus derrama sobre nós a tua luz, resguarda-nos com a tua paz.

3º Mistério – Jesus coroado de espinhos

Os Reis Magos no Natal procuravam um rei e encontraram-nos numa gruta, deitado numa manjedoura. Bem anunciou Simeão que Jesus seria sinal de contradição para a humanidade. Os soldados não perceberam que o que faziam por troça era a verdade. Jesus é um rei inesperado. Na nossa vida também a graça de Deus, tantas vezes, é inesperada. Se não estamos atentos não a perceber, podemos fugir-lhe e não a receber.

4º Mistério – Jesus caminha com a cruz

Jesus caminha com a cruz para o calvário. Maria carrega Jesus durante nove meses até Belém. A carga não é necessariamente um mal. É assumir uma tarefa e predispor-se a realizá-la da melhor maneira. Consciente dos obstáculos e dificuldades do caminho, da multidão que atrapalha, das quedas que acontecerão. Mas sabendo que há sempre alguém pronto a consolar, a animar e a ajudar.

5º Mistério – Jesus morre na cruz

Dádiva suprema. A vida e a história que no Natal começou não termina na cruz porque o maior poder é o do amor, que tudo vence. Vive-se cheio de ilusões, a realidade profunda nem sempre se percebe. A dádiva do Amor é o maior tesouro da humanidade. Nesta época do Natal, tempo em que se dão tantas prendas, que cada um de nós, como Jesus,seja capaz de se dar a si mesmo àquela pessoa que está ao seu lado.

Deixar uma resposta