Celibato

Nao suporto ver gente inteligente, que escreve em jornais e tem blogs com milhares de visitas a caírem num erro estúpido que já tem dezenas de anos.

Desde pequeno que me habituei a ouvir dizer que a infidelidade dos padres ao seu voto de castidade e a origem dos seus pecados sexuais estava no facto de eles nao casarem. Se tivessem esposa, nunca andariam a a desviar as mulheres dos outros, nunca teriam filhos bastardos.

Agora o tema regressou com mais força por causa das acusações de pedofilia e homossexualidade, como podem ver aqui, aqui e aqui.

Pois. E os homens e mulheres casados são fidelíssimos ao cônjuge, nao têm amantes, não são pedófilos ou mesmo homossexuais reprimidos. A vida dos homens e mulheres casados é o paraíso e os padres são os únicos criminosos, os únicos seres indignos de existir.

Um pensamento em “Celibato

  1. Nada de novo debaixo do Sol… Um dos documentos do Concilio de há 50 anos fala na Igreja como Luz das Nações, mas aquilo que vou sentindo no terreno em relação à Fé do Povo é que esta é uma fé muito infantil e como já dizia o Papa Paulo VI existe um claro divórcio entre religião e vida e em boa verdade a somos mais impedimento à Luz do que sinal da mesma… Por isso até acho normal os comentários destes iluminados. Conheço muitos “Cristãos” que têm aconselhado o meu irmão a não se casar, mas juntar-se, que os Padres deviam poder casar-se, que fogem aos impostos, que fazem tudo o que um pagão faz…

Deixar uma resposta